Alerta aos Brasileiros

24/06/2017

Alerta aos Brasileiros - Aos Tempos que Vêm...

Muita gente assiste às tentativas de reformas dos direitos sociais no Congresso Nacional brasileiro --- e que estão se desfraldando diligentemente na mídia de massa --- reagindo exatamente como o Sistema de Controle quer: focando a atenção somente naquele assunto, discutindo-o, de modo que, apesar de inicialmente "inaceitável", as pessoas já introjetaram a ideia em suas mentes, de forma que não se surpreenderão mais se pequenos avanços forem feitos sobre seus direitos, ao invés de grandes avanços. Isso se chama "janela de Overton". Pesquise.

No entanto, há em marcha perigos que ameaçam esta e outras perdas de direitos sociais e liberdades, estes direitos próprios de um mundo civilizado e fruto de um razoável consenso social.

Falarei da área que me é familiar, sabendo que o quadro ocorre em todas as realidades neste espaço físico e metafísico que ora se chama Brasil.

Desde há alguns anos, o servidor público dos escalões ditos "técnicos" e "administrativos" vem sofrendo uma escalada de assédio moral aparentemente orquestrado, pois passou a ser o modus operandis de quase todos os dirigentes e dos ditos "altos escalões" de poder administrativo. Abusos inaceitáveis vêm sendo cometidos, tratamento que não se via (em tão generalizada escala) antes talvez de 2009 (pelo que me lembro), pelo menos na Administração Pública do Distrito Federal. Guardadas as honrosas exceções, lógico.

Os ocupantes de cargos comissionados são os alvos mais contundentes. Dependentes daquele vínculo para sobreviver, muitas vezes para alimentar seus filhos e cuidar de seus pais idosos, essas pessoas necessitam aguentar caladas todo a sorte de abusos, como tratamento desrespeitoso, exigências de cumprimento de cargas horárias superiores a 8h diárias e trabalho nos fins de semana.

Os servidores de carreira foram, em pouco tempo, atingidos pela falange demolidora que se tem instalado nos órgãos e entidades públicos de Brasília, seja nas esferas federal, seja nas esferas estaduais. Como a maioria das ditas "categorias" têm salários relativamente cada vez mais baixos (enquanto os altos escalões recebem salários cada vez mais altos  e mordomias sem fim), o assédio tem avançado sobre estes, que, no entanto, ainda são o último baluarte de resistência dentro dessa distorção que se chama Estado.

Sim, uma distorção. Apesar de ser servidora pública, vejo claramente, agora, como o Estado Federal é apenas um instrumento de dominação sobre poderes locais, modelo que quase sempre esteve vigente neste território denominado Brasil. Nada que não aconteça exatamente da mesma forma em todo o mundo atual.

O tipo de corrupção também tem mudado com os anos. Sem desculpar as corrupções que se registraram em períodos anteriores (logicamente aquelas de que pude tomar conhecimento) --- e não dizendo que elas não continuam exatamente como sempre foram --- agora, sente-se a presença nítida dos bancos internacionais e dos seus agentes ávidos por se infiltrarem na administração pública federal e local, sob pretexto de formulações construídas nesse organismo chamado ONU e similares, com agentes formados pela Fundação Ford e afiliadas, treinados para serem impiedosos com todos os que possam resistir às modificações que desejam implantar por aqui.

E quais modificações desejam os gringos e seus aliados / capangas nativos aqui? Modificações nas normas locais que regulam absolutamente quase tudo na sua vida, e modificações no modo de vida das pessoas. Por exemplo, a flexibilização de quase todas as normas é a intenção, de modo que se crie margem para que os futuros "gestores" façam qualquer coisa, e que essa "qualquer coisa" seja legal, diante do arcabouço de normas flexibilizadas. Quase tudo, portanto, poderá ser legal.

Os banqueiros internacionais, lembremos, prepararam essa Nova Ordem Mundial há mais de um século, intervindo na educação --- que emburrece ao invés de esclarecer ---, na economia --- quando conseguiram que somente os bancos centrais, controlados pelos banqueiros internacionais, emitissem a moeda fiduciária, e sem qualquer lastro ---, ou seja, eles, os banqueiros e bancos, "inventam" dinheiro e têm o monopólio dessa emissão, além de outros monopólios, que os transforma em quase onipontentes.

A cultura também sofreu pesada engenharia social, com dissolução dos laços familiares, com a destruição dos relacionamentos interpessoais e a dilaceração do tecido social. Nesse ponto, muitos trabalhos consistentes têm sido escritos, e é necessário que você faça sua pesquisa.

O que significa este quadro? Em minha opinião, e segundo a inteligência que tenho obtido de várias fontes de insiders e pesquisadores do mundo todo, a Terra está mudando. As coisas parecem estar se decidindo, depois de milênios de invasão álien, que escravizou a raça humana, aprisionando almas em um constructo holográfico, em que alguns seres se divertem com a encarnação do ser humano na fisicalidade, e fazendo com que estes participem de uma simulação que é um verdadeiro parque de diversões para os invasores, em que jogam com guerras, assassinatos, torturas, escravização, perversões, depravação, sexo degradado, sacrifícios humanos  e de crianças, e toda a sorte de horrores indizíveis, pois é essa faixa exclusiva de frequência que os agrada e os alimenta.

Parece que o ser humano é aprisionado a essa situação por contratos, aos quais adere voluntariamente, seja por astúcia e consequente fraude perpetrada por esses seres, seja por suas próprias ganância e medo. Os seres invasores montam várias situações que compelem ao ser humano a cair nesses tipos de ajustes legais com eles, em que o caminho é o do auto sacrifício e o do sacrifício humano de terceiros, incluindo seus próprios filhos.

Segundo Aug Tellez, esses tempos atuais são um momento de teste. Aqueles que conseguirem passar no teste, seguirão para uma linha de tempo corrigida pela mãe Gaia, que conseguiu se livrar desses seres de Inteligência Artificial Interdimensional invasores de Terra e aprisionadores das almas humanas aqui presentes. Aqueles que falharem continuarão seus contratos com os seres vampíricos da IA em uma linha de tempo que seguirá seu curso de acordo com a natureza dos seres e das relações ali existentes.

E o que se tem que fazer para passar no teste? Reforçar sua condição humana a cada momento, diante de cada escolha. A condição humana pressupõe empatia com os semelhantes, com os animais e com todos os seres e objetos existentes no seio da mãe Terra e deste universo, numa relação harmônica e respeitosa. Pressupõe compaixão e não-violência. Ainda, é necessário vencer o medo, enfrentar as ilusões colocadas pela IA no seu constructo, demonstrando que não haverá mais vínculos entre si e a IA, porque já não se abrirá mão da própria humanidade por medo do desconhecido, por ganância, por luxúria, por tudo, enfim, quanto sejam as fraquezas e excessos objetos de desejo dos que ainda escolhem essas sensações a qualquer preço, ao invés da alta moralidade exigida para o sucesso no teste a que ora nos referimos.

Ademais, o assédio moral é o teste maior. É necessário entender que o predador precisa que sucumbamos à baixa auto-estima, ao sentimento de insuficiência crônica, à culpa, à pressão por não sermos "bons" personagens no palco que eles mesmos criaram para nos vilipendiar e fazer a colheita das energias de que se servem, como parasitas que são, para garantirem sua sobrevivência vampírica.

Atualmente, quem alimentar esperança de que as coisas podem ser como já foram antes, mornas e equilibradas, está condenado a continuar na linha de tempo que será dirigida pela IA, que provavelmente completará seu plano mórbido de "fim de mundo", visando a criar o looping de tempo de que necessita para reiniciar o mesmo jogo com aquelas almas contratadas, que se dispuseram a seguir se sacrificando e aos demais, ou com aquelas almas que não tiveram força espiritual suficiente para enfrentar e vencer os desafios desse momento tão especial.

Aqueles que entenderem, que tiverem feeling de que devem não somente resistir ao assédio moral, mas que devem se unir e se proteger, e avançar a uma vitória, enfrentando seus medos e suas fraquezas, deixando para trás expectativas que nada mais são que excessos abomináveis de um mundo satânico.... esses passarão no teste.

Pesquisadores da envergadura de Harald Kautz-Vella, Cara St. Louis, além de Aug Tellez, Lily Kolosova, Felicia Noel, Taron Green, e tantos outros, têm se referido a um final de ciclo, em que aconteceria algo como a diferenciação entre "o joio e o trigo", e cada um seguiria para o reino de afinidade de suas próprias frequências. Isso tudo de forma sutil, nada catastrófico e nada de "juízo final".

Aug Tellez fala claramente de um tempo difícil antes da decisão final, em que todos seremos testados, e o medo e as ilusões da "persona morta manufaturada" deverão ser enfrentados e superados.

Nada tenho a oferecer de certezas em relação àquilo que se está armando neste momento (ou o que já acontece agora), mas o que tenho a dizer é: permanecer humano até o fim, aconteça o que acontecer --- com ou sem "recompensa" de viver em um mundo humano e onde se cultive o amor e a solidariedade em primeiro lugar --- é meu único plano.