Ignorância Voluntária, Armadilha de Reencarnação no Tempo Linear de Dimensão Inferior e Eventos Futuros

Por Aug Tellez

17/mai/2017

Tudo se trata de livre-arbítrio e escolha hoje. Aqueles que não estão cientes estão escolhendo ser assim por meio de seu livre-arbítrio e da aplicação de sua força de vontade. Não há acidentes, e isso tudo leva a algo.

A ideia comumente aceita entre 'aqueles que sabem' é que haverá um menor número de corpos físicos a encarnarem neste plano da Terra e, assim, deverá haver uma 'ascensão em massa' para além da necessidade de uma âncora física; caso contrário, as coisas ficariam desconfortáveis ​​por um período de tempo, e isso poderia perturbar tudo no longo prazo.

Aqueles que aceleram alcançam a sincronização com uma civilização futura onde há uma deliberação contínua.

Aqueles que permanecem, hoje, deliberadamente ignorantes não se sairiam bem em tal situação, de modo que estes permanecerão no nível físico inferior ou no nível energético inferior e, portanto, no ciclo vicioso contínuo, onde há uma maior pressão para a encarnação do que oportunidades de encarnar, gerando um desequilíbrio - tal como um tanque de caldeira, onde a energia quer escapar, mas não tem os canais imediatos e adequados através dos quais navegar e impulsionar-se para a frente.

Essa é a base para a armadilha de reencarnação em dimensões inferiores e no reino físico, onde se deve progredir além desses níveis, mas também é necessário avançar a consciência espiritual para fazê-lo, fundindo seu eu consciente e o eu eterno em uma união divina.

A noção aqui é que é preciso alcançar o pleno autocontrole diante dos desejos, da tentação, da falta de clareza e foco (consciência autorreferenciada, autoconsciência), a fim de se mover rumo à PLENITUDE DO SER, harmonizando mente e corpo, de modo a superar o medo e a miopia.

A harmonização de mente e corpo desenvolve o despertar da capacidade de sentir espiritualmente e de sentir através de uma bússola moral refinada e sensível; desenvolve a capacidade de superação do tempo e da ilusão consciente, de encontrar a paz interior por meio da compaixão e da não-resistência; e leva ao aprendizado de como estabilizar e disciplinar a distorção perceptual, ao estilo 'bardo', dos reinos intermédios entre o plano físico e o elevado plano espiritual ('Céu' ou 'Terra' de alta frequência, pontos da pirâmide, em vez da base; pontos do espectro de radiação, em vez dos intervalos vibratórios inferiores). A harmonização de mente e corpo desenvolve, ainda, a capacidade de se proteger dessa percepção distorcida.

O objetivo mais elevado é se tornar fluente na linguagem de todos os reinos, visando a adquirir a capacidade de circular por todo o espectro de realidade, de vibrações e de frequências, movimentando-se por todo ele à vontade, interpretando corretamente e gerenciando vibrações de baixa energia quando com elas confrontado, aplicando apropriadamente a vontade de expressar e alcançar altas energias ou estados de frequência de plenitude, ao procurar concretizar o seu sentido espiritual ou psico-etérico de saúde.

Este é o fundamento de certas práticas das sociedades secretas originais para testar e acelerar o progresso das pessoas através das camadas espirituais, de modo que elas possam se fundir com a civilização de maior potencial por meio desse treinamento.

Muitos, se não todos, foram infiltrados com a pura falta de foco e clareza diante de tais informação e verdade, tão desafiadoras como a possibilidade de o reino físico se fechar para todos, exceto para os mais elevados seres espiritualmente desenvolvidos.

Assim, muitos se enraizaram na escuridão que agora permeia este mundo. No entanto, o objetivo original era, e cotinua sendo, produzir o maior potencial espiritual consciente em uma pessoa, para que ela encontre os meios de superar o medo e a tentação direcionada a desejos inferiores, por intermédio da aplicação do conhecimento, do autocontrole e da criatividade, por meio do livre-arbítrio, da verdade e da compaixão --- usados como bússolas morais autorreferenciadas, literalmente orientando a pessoa através de campos de navegação e medição extra-dimensionais, com objetivo de chegar a essa futura civilização de harmonia.

Não há morte verdadeira. No entanto, os éons que as almas dispendem na 'sala de espera' (da reencarnação, N. do T.) tendem a degradá-las e, assim, temos as parábolas antigas sobre a luz e o óleo como fluido espiritual no vaso (preservar a semente) e a necessidade de acelerar a consciência, de unir a consciência do corpo com o mais alto e refinado senso de informação, para que as duas bases de dados se combinem e se entrelacem, para formarem uma só força inferencial (de ilação, de dedução, de avaliação - N. do T.), transportando, assim, a alma mortal - no corpo mortal - rumo à libertação que vem com a imortalidade e as qualidades eternas ou regenerativas espirituais.

Essas qualidades são literalmente expressões matemáticas e qualitativas do Eu e do livre-arbítrio, que multiplicam a energia da pessoa de modo a entrelaçar a mente com os sentimentos do coração, impulsionando o Ser por meio da geração de um fluxo de dados extra-dimensionalmente formatados no 'omniverso' (do Latim, omnis = inteiro, todo, tudo - N. do T.), formato capaz de ultrapassar as barreiras energéticas ou de frequência existentes entre os comprimentos de onda, literalmente permitindo que a pessoa, como uma onda de rádio-frequência, salte conscientemente entre os sistemas de rádio que existem em reinos paralelos adjacentes na outra extremidade do multiverso.

Tudo (que está acontecendo) é direcionado a esta verdade: ir além do mais baixo, superar esses desafios, superar e se sobressair espiritualmente. Este é o universo: é tudo um sistema, não saímos (dele), nós nos unimos com bandas de frequências mais altas e expandimos nosso alcance de tempo e consciência.

O vídeo a este propósito (a ser colocado acima em breve - N. do T.) discutirá esse assunto.